Vasectomia pode causar Disfunção Erétil?

É muito improvável.

Para a maioria dos homens, a disfunção erétil (DE) após uma vasectomia não é causada pelo próprio procedimento. A vasectomia é uma das formas mais confiáveis de controle de natalidade. Envolve cortar, amarrar ou queimar os vasos deferentes – os canais que transportam espermatozóides dos testículos (onde os espermatozóides são produzidos) para a uretra (onde são expelidos do pênis durante a ejaculação). Desta forma, o caminho das células do esperma é bloqueado, diminuindo muito as suas chances de fertilizar um óvulo e criar uma gravidez. Os espermatozóides são absorvidos pelo corpo.

Os homens devem saber que os efeitos do controle de natalidade da vasectomia não são imediatos. O esperma pode ainda estar presente nos vasos deferentes por vários meses, e os casais ainda devem usar outro método anticoncepcional até que um médico informe o contrário. Alguns homens temem que eles tenham problemas com ereções após a vasectomia. No entanto, o procedimento não altera nenhum dos órgãos ou processos necessários para as ereções. Os homens ainda terão ereções da mesma maneira, pois:

  • A estimulação sexual leva o cérebro a desencadear o processo de ereção.
  • O tecido muscular liso no pênis relaxa.
  • As artérias penianas se expandem para permitir que mais sangue flua, criando uma ereção firme.
  • As veias se contraem para manter o sangue no pênis, mantendo a rigidez para a relação sexual.
  • Após a ejaculação (ou quando a estimulação pára), o sangue é liberado de volta ao corpo.

Em uma vasectomia, o caminho do esperma é alterado. O corpo do homem ainda produz sêmen e ejacula como antes. Mas o sêmen não deve conter nenhum espermatozóide. Em 2014, o Journal of Sexual Medicine publicou um estudo sobre a sexualidade de 76 casais após vasectomia. Usando uma ferramenta de avaliação chamada Índice Internacional de Função Erétil (IIEF), os pesquisadores compararam a capacidade dos homens de ter ereções antes e depois da cirurgia. Eles descobriram que, em geral, os valores médios de IIEF dos homens aumentaram um pouco, com melhorias nos domínios da função erétil, função orgásmica e satisfação sexual geral.

Vasectomia Vasos

*** No esquema ilustrativo acima observa-se que na vasectomia apenas o canal deferente é ligado. As outras estruturas permanecem íntegras, mantendo a vascularização, drenagem linfática e inervação inalterados.

Em geral, a DE não foi um problema para os homens após a vasectomia. Suas parceiras também relataram melhora da função sexual. Algum grau de depressão ou ansiedade pode ocorrer após a vasectomia. Os homens podem sentir que perderam algum grau de masculinidade, mesmo que sua função sexual permaneça, na maior parte, inalterada. Eles podem se sentir arrependidos ou deprimidos por não conseguirem, inconscientemente, mais gerar um filho (a menos que a vasectomia seja revertida). Seria um fator psicológico, e essas emoções poderiam afetar as ereções. 

Homens que têm dúvidas sobre a mecânica da vasectomia ou sobre as potenciais emoções que podem acompanhá-la, devem se sentir à vontade para discutir suas preocupações com seu urologista.Os homens também devem saber que as vasectomias podem ter outras complicações, como sangramento, dor e infecção. Embora não seja típico, alguns pacientes apresentam dor a longo prazo. Os pacientes devem considerar cuidadosamente suas opções e conversar abertamente e completamente com seu parceiro e seu médico antes de fazer a cirurgia.

 

Fonte Bibliográfica: 

Sexual Medicine Reviews

Sobre o autor

Alessandro Rossol

Nenhum comentário.

Comentários