Cirurgia de plicatura para as deformidades de Peyronie severas tem resultados similares a casos mais leves

A cirurgia de plicatura peniana (PP) da doença de Peyronie (PD) é uma opção de tratamento estabelecida para a curvatura de leve a moderada, mas existem poucos dados sobre sua utilidade em deformidades graves. Este estudo avalia resultados a longo prazo entre homens submetidos a PP para DP, comparando deformidades penianas leves a moderadas / moderadas.

Métodos
Foi realizada uma revisão retrospectiva de pacientes que foram submetidos a PP para PD entre 2009 e 2017. Todos os pacientes foram submetidos a plicatura múltipla paralela dos corpos cavernosos sem dissecção exagerada (degloving). Doença de Peyronie DP severa foi definida como curvatura ≥60 graus ou curvatura biplanar ≥35 graus. Demografia dos pacientes e resultados cirúrgicos foram analisados. Um questionário PD modificado e o Índice Internacional de Função Erétil (IIEF) -5 foram administrados por telefone.

Peyronie prepos op

Plicatura peniana para deformidades graves da doença de Peyronie. Fotografia pré-operatória demonstrando curvatura dorsal de 70 graus. Excelente endireitamento (curvatura dorsal residual de 8 graus) foi obtido através de plicatura minimamente invasiva. O encurtamento do pênis foi mínimo neste caso.

Medida do resultado
Os resultados relatados pelos pacientes em longo prazo foram avaliados a partir de uma pesquisa modificada incorporando o questionário PD e o IIEF-5.

Resultados
Dos 327 pacientes com PP, 102 (31%) responderam à pesquisa por telefone em uma média de 59,5 meses (intervalo interquartílico 28,3-84) desde a cirurgia. Os pacientes foram igualmente distribuídos em grupos graves (n = 51) e leves / moderados (n = 51). Apesar de um maior grau médio de curvatura em pacientes graves / moderados (71,6 graus vs 37,7 graus, respectivamente, P <0,001), a correção da curvatura peniana foi alcançada em 91% dos pacientes, com uma mudança média de 60,7 graus casos graves em comparação com 31,4 graus em casos leves / moderados (P <0,001). Um número igual de pacientes nos grupos grave e leve / moderado relatou melhora da curvatura peniana (74,5% vs 74,5%, P = 1,0) e função sexual (51,0% vs 49,0%, P = 0,84). As métricas do Questionário PD foram similarmente semelhantes entre pacientes graves e leves / moderados (P>, 1), assim como taxas de encurtamento subjetivo do pênis (62,7% vs 62,7%, P = 1,0) e IIEF-5, ambos no pré-operatório (19,5 vs 19,7, P = 0,9) e pós-operatório (19,4 vs 17,6, respectivamente, P = 0,15). Na regressão logística multivariada, o agravamento da função sexual foi significativamente associado com o aumento da idade (odds ratio 1,07, P = 0,01) e IIEF pré-operatório (odds ratio 1,14, P = 0,02).

Implicações clínicas
A cirurgia de Plicatura Peniana PP deve ser considerada em pacientes com Doença de Peyronie PD com deformidades graves, pois os resultados são favoráveis e comparáveis àqueles com curvatura mais leve.

Força e Limitações
Este é um novo estudo avaliando os resultados relatados pelo paciente a longo prazo após a Plicatuta Peniana PP, comparando pacientes com deformidade severa com aqueles com curvatura leve / moderada. O estudo foi limitado pelo desenho retrospectivo, taxa de resposta à pesquisa relativamente baixa (31%) e falta de questionário validado de DP no pós-operatório.

Conclusão
Os resultados de longo prazo relatados pelos pacientes submetidos a Plicatura Peniana para deformidades graves de Doença de Peyronie são comparáveis aos casos leves / moderados, apoiando a indicação cirúrgica de Plicatura Penina além de deformidades mais leves.

Fonte Bibliográfica:

The Journal of Sexual Medicine, October 2018 Volume 15, Issue 10, Pages 1498–1505

Plication for Severe Peyronie’s Deformities Has Similar Long-Term Outcomes to Milder Cases

Rohit S. Reddy, BA, Maxim J. McKibben, MD, Joceline S. Fuchs, MD, Nabeel Shakir, MD, Jeremy Scott, BS, Allen F. Morey, MD’Correspondence information about the author MD Allen F. MoreyEmail the author MD Allen F. Morey

Department of Urology, University of Texas Southwestern Medical Center, Dallas, TX, USA

https://www.jsm.jsexmed.org/article/S1743-6095(18)31112-3/fulltext

 

*** Comentário Dr. Rossol

A preocupação tradicional sobre plicatura peniana para correção das deformidades de Peyronie gira em torno da questão do encurtamento peniano. Vale lembrar também que um estudo de uma grande série de pacientes com doença de Peyronie não tratada (nenhum tratamento), ao longo do tempo, quase dois terços notaram encurtamento.

Em nossa experiência, frequentemente ocorre encurtamento após a cirurgia de plicatura, e a maioria dos pacientes a mencione subjetivamente. Minha opinião é que esse fenômeno ocorre após qualquer cirurgia peniana. Inúmeros artigos para avaliar o encurtamento do pênis relatado pelo paciente após qualquer operação peniana que você possa imaginar (circuncisão, todas as formas de uretroplastia, até mesmo incisão e enxerto de placa) mostraram uma correlação positiva, com índices de satisfação muito bons, mesmo com o encurtamento. Isso se deve ao fato de, com a correção da tortuosidade, o paciente retomar a melhora da performance durante o coito.

Este artigo aumenta minha convicção sobre perda de comprimento ser atribuída à qualquer intervenção cirúrgica peniana, tanto a plicatura como no uso de enxerto. Ele fornece um contexto importante para a interpretação de séries reconstrutivas penianas e levanta questões sobre o significado clínico dos vários resultados relatados pelos pacientes sobre o encurtamento peniano.

Na realidade, o paciente com doença de Peyronie muitas vezes não percebe que o encurtamento peniano ocorreu com a fibrose da placa (e a retração que ela provoca) e não com a cirurgia, independente da técnica utilizada. E a cirurgia provocar’um encurtamento adicional.

 

Sobre o autor

Alessandro Rossol

Nenhum comentário.

Comentários