Causas de diminuição do tamanho o pênis

Alguns homens estranham quando o pênis perde tamanho devido à problemas com ereção. A redução de tamanho pode ser facilmente percebida naqueles que não têm dificuldade de ereção, porém, alguns não conseguem notar o problema com facilidade. Nessa situação, um exame com ereção induzida com medicamentos pode ser útil para obter um diagnóstico preciso.

Em ambos os casos, a procura por ajuda com um andrologista é necessária porque perder tamanho do pênis não é algo desejável. Pelo contrário, é uma forma do seu corpo lhe mostrar que há algo errado com sua saúde sexual e que isso precisa ser resolvido. Usualmente o próprio paciente verifica a diminuição medindo com régua ou fita métrica quando o pênis está em ereção; outras vezes uma medição aproximada com os dedos ou a palma da mão já identifica numa auto-avaliação que houve encurtamento. Um bom ponto de parâmetro é o púbis; a régua deve ser posicionada e medida do púbis (base do pênis) até a ponta da glande.

Mediçao Penis

Quando o paciente percebe que o pênis diminuiu e também apresenta problemas com a ereção, deve procurar um urologista para um diagnóstico mais correto, já que a autoavaliação só será precisa se o pênis estiver bem rígido. Daí poderá fazer um exame de ultrassom com doppler utilizando ereção induzida para avaliar as estruturas internas do pênis, o fluxo sanguíneo e a presença de fibroses superficiais ou internas, que podem causar a redução do membro.

VEJA ALGUMAS SITUAÇÕES QUE PODEM DIMINUIR O PÊNIS

Tratamento do câncer de próstata

A cirurgia, radioterapia, braquiterapia ou hormonioterapia, métodos para tratar o câncer de próstata, estão altamente associados a efeitos colaterais como a disfunção erétil, fibroses e o encurtamento do pênis.

Pacientes com Doença de Peyronie

A Doença de Peyronie é causada por fibroses que podem acometer o pênis. Essa situação afeta não só a curvatura, mas também pode provocar uma redução no tamanho e agravar os problemas de ereção num grande grupo de pacientes.

Ausência de ereção noturna ou matinal

A ereção involuntária que ocorre durante o sono ou pela manhã pouco antes de acordar é uma situação perfeitamente normal e deve acontecer com certa regularidade, quando a saúde do pênis vai bem. A falta desta ereção deixa o pênis menos oxigenado, podendo favorecer a formação de fibroses com o tempo.

A falta destas ereções pode estar relacionada a uma diminuição hormonal ou a um problema mais grave de disfunção erétil. Na avaliação com o andrologista, é realizada uma bateria de exames com a dosagem destes hormônios como parte da investigação.

Tratamento da disfunção erétil

O uso frequente de injeções aplicadas no pênis para estimular a ereção pode causar efeitos colaterais que formam cicatrizes no pênis e podem evoluir para placas de fibroses. Essas placas podem causar não só o encurtamento, mas também a curvatura e o afinamento peniano.

Pacientes com diabetes

O diabetes é uma doença muito prevalente na população masculina. O descontrole das taxas de acúcar no sangue provoca danos no funcionamento dos nervos e vasos sanguíneos, o que pode provocar a disfunção erétil. A dificuldade de ereção pode causar pequenos traumas durante a relação sexual, o que favorece ao surgimento de fibroses nos tecidos do pênis, essa situação também pode causar a sua diminuição.

Pacientes com problemas cardiovasculares

Condições cardiovasculares, como a arteriosclerose, podem causar lentidão no fluxo sanguíneo dentro do pênis, o que dificulta a capacidade de ereção e pode provocar a redução do tamanho peniano, além de impedir uma relação sexual satisfatória.

Pacientes que tiveram priapismo

Priapismo é uma ereção muito prolongada, dolorosa e normalmente com mais do que seis horas. Alé ela pode ter consequências muito sérias pois o sangue fica muito tempo aprisionado e sem oxigenação adequada dentro do pênis. Isso pode causar disfunção erétil irreversível, necrose e fibrose interna dos corpos cavernosos, responsável pela redução de comprimento e calibre do pênis.

 

 

Fonte Bibliográfica:

Campbell – Walsh, Rapid Review, 2017

Sobre o autor

Alessandro Rossol

Nenhum comentário.

Comentários