Tratamento endoscópico da infertilidade causada por obstrução dos ductos ejaculadores – apresentação de caso.

 

Obstrução do ducto ejaculatório é uma causa rara, mas cirurgicamente corrigível, da infertilidade masculina. A ressecção transuretral dos ductos ejaculatórios serve como uma importante opção de tratamento terapêutico para os ductos ejaculatórios parcial e/ou completamente obstruídos que podem resultar em melhora significativa dos parâmetros do sêmen e da taxa de gestação.

Apresento aqui um destes casos de um homem de 40 anos com infertilidade primária. Sua história médica passada não apresentava patologias nem cirurgias. O exame físico revelou testículos bilaterais de 14cm3, de consistência normal, canais vasos deferentes presentes e epidídimos não dolorosos à palpação. Os estudos hormonais estavam dentro da normalidade. A análise de sêmen foi anormal (pH 6,4, volume de 0,7 ml, concentração de 16 milhões/ml e motilidade de 7%). A ultra-sonografia transretal revelou vesículas seminais dilatadas medindo mais de 1,5 cm e a aspiração vesicular seminal não detectou nenhum espermatozóide no aspirado.

Iniciamos o procedimento colocando o paciente na posição de litotomia convencional. Realizou-se punção de vesícula seminal guiada por ecografia transretal e injetou-se azul de metileno em ambas as vesículas seminais. A cistoscopia foi realizada com foco na área do verumontanum para avaliar a drenagem de azul de metileno, a fim de proceder com mais precisão na ressecção dos dutos ejaculatórios. A vesiculografia foi realizada colocando-se um cateter ureteral 5fr nos ductos recém-abertos, a fim de avaliar a permeabilidade e confirmar que ambos os lados tinham sido abertos. A hemostasia foi realizada com cuidado para não obstruir os ductos recém-abertos.

O paciente recebeu alta hospitalar um dia depois do procedimento. Ele retornou à clínica 2 semanas para uma avaliação pós-operatória. A análise do sêmen pós-operatória revelou melhora nos parâmetros (pH 7,2, volume de 1ml,  concentração de 20 milhões de espermatozóides por ml e motilidade de 60%.

Conclusões: As indicações para a realização de uma Ressecção Transuretral dos Ductos Ejaculatórios bem sucedida incluem:

  • uma avaliação criteriosa pré-operatória do paciente com anamnese, exame físico, perfil hormonal e espermograma;
  • a realização da ecografia transretal com punção para avaliar as vesículas seminais, assim como a presença de espermatozóides;
  • a instilação de azul de metileno nas vesículas seminais para facilitar a identificação dos ductos ejaculatórios;
  • a vesiculografia realizada perto do final do procedimento para assegurar que ambos ductos ejaculatórios tenham sido bem abertos, bem como para avaliar a drenagem passiva das vesículas seminais através das ductos recém desobstruídos.

 

 

Sobre o autor

Alessandro Rossol

Nenhum comentário.

Comentários