SEGURANÇA E EFICÁCIA DAS ONDAS DE CHOQUE DE BAIXA INTENSIDADE EM 604 PACIENTES COM DISFUNÇÃO ERÉTIL

 

Foi apresentado no Journal of Urology um estudo que compilou publicações dos experts abaixo em disfunção erétil a respeito da aplicação de ondas de choque em homens com disfunção erétil.

AUTORES:

Robert Feldman (Middlebury CT, CT)
Bela Denes (Laguna Beach, CA)
Boaz Appel (Haifa, Israel)
Satya Srini Vasan (Bangalore, India)
Tamar Shultz (Gaithersburg, MD)
Arthur Burnett (Baltimore, MD)

INTRODUÇÃO E OBJETIVOS
A terapia de ondas de choque de baixa intensidade (Li-ESWT) está atualmente aprovada em mais de 20 países e disponível em mais de 200 clínicas de todo o mundo. Um estudo multicêntrico norte-americano foi concluído e os dados estão atualmente sob a revisão do FDA. Aqui nós fornecemos uma visão geral da experiência clínica até presente data sobre a segurança e a eficácia da Li-ESWT para o tratamento de disfunção erétil.
Os estudos foram realizados em homens com Disfunção Erétil (DE) respondedores e maus respondedores para inibidores da PDE5 (medicamentos orais para melhorar a ereção, como Viagra, Levitra, Cialis, Heleva). Nós relatamos os dados de cinco estudos randomizados controlados com placebo (EUA, Israel, Grécia e Índia) e três com um único braço de estudo aberto (Israel, Japão).
A aplicação de ondas de choque de baixa intensidade (Li-ESWT) para disfunção erétil foi recentemente incluída na Associação Europeia de Urologia como diretriz de tratamento para a disfunção sexual masculina.

MÉTODOS

O banco de dados incluiu homens (N = 604) utilizando o mesmo protocolo de tratamento com Li-ESWT (ED1000 Medispec): Tratamento Ativo em 440 pacientes versus Tratamento Placebo (Sham) em 164 pacientes. Li-ESWT foi aplicada no pênis, 2X/ semana durante 3 semanas e repetido após um período de repouso de três semanas para um total de 12 sessões. Mudanças no escore do IIEF-EF (Índice de Função Erétil) foram avaliados no início e em outros momentos após o tratamento: 1 mês, 3 meses, 6 meses, 12 meses e 24 meses. Também outras medidas objetivas de eficácia foram avaliadas: Ultrassom peniano com doppler, fluxo de dilatação mediada e tumescência peniana noturna. Foram registrados incidência e severidade de eventos adversos.

RESULTADOS

Resultados de dados agrupados revelaram que 55%, 61%, 65% e 71% dos indivíduos alcançaram uma diferença importante em sua pontuação no IIEF-EF da linha de base a médio prazo: 3m, 6m, 12m e 24meses respectivamente. A alteração média no IIEF-EF da linha de base foi de 5, 6.8, 6.2 e 7 pontos no médio prazo: 3m, 6m, 12m e 24 meses respectivamente.
O tratamento com ondas de choque de baixa intensidade (Li-ESWT) foi bem tolerado. Os efeitos adversos relatados foram leves e resolveram-se espontaneamente. Os resultados de estudos em que foram selecionados estão apresentados na tabela 1.

 Tabela1: Resultados de estudos selecionados com avaliação de resultados
PAÍS
USA
GRÉCIA
ISRAEL
ISRAEL
ISRAEL
Resposta a inibidores da PDE5i antes da Li-ESWT
Respondedores
Respondedores
Respondedores
Respondedores
Mau-Respondedores
Melhora na Função Erétil medida pelo IIEF-FE
62% vs. 37.5% em tratamento vs. grupo placebo, p=0.025
58.6% vs.12.5% em tratamento vs. grupo placebo, p=0.003
49.3% vs. 9.1% em tratamento vs. grupo placebo, p<0.01
45.8% vs. 12.5% em tratamento vs. grupo placebo, p=0.021
40.5% vs. 0% in tratamento vs. grupo placebo, p=0.001
Mudança em Pontos do IIFE-EF
6.1 vs. 2.5 pontos no tratamento vs. grupo placebo, p=0.02
4.6 vs. 1.4 pontos no tratamento vs. grupo placebo, p<0.001
População
103 pacientes (tratados-84, placebo-40)
46 pacientes (tratados-31, placebo-15)
89 pacientes (tratados-59, placebo-30)
24 pacientes
55 pacientes

 

Fonte Bibliográfica:

Journal of Urology, April 2015, Volume 193, Issue 4, Supplement, Pages e905–e906

http://medispec.com/wp-content/uploads/2015/07/CUA2015Poster_22June15.pdf

 

 

.

 

Sobre o autor

Alessandro Rossol

Nenhum comentário.

Comentários