Comparação de Laser com outras terapias para tratamento de Hiperplasia Prostática Benigna

Laser AUA 2017

A sessão plenária do Congresso Americano de Urologia (Boston, maio/2017) apresentou brilhante discussão sobre terapias minimamente invasivas para tratamento da HBP (Hiperlasia Benigna Prostática).

Em geral, comparado com a terapia tradicional de RTU (Ressecção Transuretral), o tratamento com laser tem apresentado menor tempo de cateterização (uso de sonda), alta hospitalar mais precoce e diminuição das complicações cirúrgicas perioperatórias.

Um estudo duplo-cego, randomizado, realizado no ano de 2015 (GOLIATH Study) com 281 pacientes concluiu que o uso do laser proporciona uma cirurgia mais segura que a RTU de próstata, principalmente em pacientes anticoagulados e em pacientes de alto risco. Também mostrou que a curva de aprendizado do cirurgião com esta técnica é curta e vem diminuindo com o uso de simuladores.

Os resultados funcionais em termos de sintomas urinários obstrutivos (questionários de sintomas e flluxo máximo) foram iguais nos dois grupos, entretanto o número de reintervenções cirúrgicas por sangramentos foi cinco vezes maior nos pacientes submetidos a RTU, comparado com os que se submeteram ao tratamento com laser.

http://www.aua2017.org/webcasts/webcast_play.cfm?videoID=5224&agendaid=14410&id=14395,14396,14397,14395,14396,14397,14398,14398,14399,14399,14400,14400,14401,14401,14402,14402,14403,14403,14404,14404,14405,14405,14406,14407,14406,14407,%2014408,14408,14409,14409,14410,14410,14411,14411,14412,14412,14413,14413,14414,14414,14446,14447,14448,14449,14450,14451,14452,14453,14454,14455,14456

Sobre o autor

Alessandro Rossol

Nenhum comentário.

Comentários